A febre dos alimentos orgânicos: o que são, quais os benefícios e onde posso encontrá-los

Atualizado: Abr 6



Os alimentos orgânicos estão cada vez mais presentes em nossas rotinas, seja na prateleira do supermercado ou nas nossas refeições. É indiscutível que estes alimentos ganharam mais espaço e visibilidade para o consumidor, acompanhando uma tendência mundial da busca por uma alimentação mais saudável.

Mas afinal, o que são os alimentos orgânicos? O que os diferenciam dos alimentos tradicionais? Por quê optar por consumi-los? Como encontra-los? Continue lendo para descobrir!


O que são os alimentos orgânicos ?




Alimentos orgânicos são aqueles que durante sua produção é evitado ao máximo o uso de fertilizantes artificiais, modificações genéticas, pesticidas, dentre outros produtos químicos potencialmente tóxicos a saúde humana.


Ao contrário do que se imagina, eles não estão totalmente livres de pesticidas, pois em fazendas orgânicas, quando necessária a utilização destas substâncias, opta-se pelos pesticidas naturais, respeitando a lei da Agricultura orgânica, ao invés dos sintéticos. E em situações de enriquecimento do solo utilizam-se, por exemplo, os adubos orgânicos.


Além dos vegetais, carnes, laticínios e ovos também fazem parte dessa classe, visto que animais criados da forma tradicional, podem apresentar em seu organismo resíduos químicos provenientes da sua alimentação. Na produção orgânica a criação de animais é feita em pastos orgânicos, permitindo o contato do animal com áreas externas, ar fresco e luz solar, de acordo com a demanda de cada espécie.


Por que optar em consumir alimentos orgânicos ?



As vantagens dos alimentos orgânicos são inúmeras e podem ser analisadas em diferentes aspectos, desde a saúde humana e ambiental até aspectos econômicos.




Benefícios a saúde humana


A ciência já comprovou diversas vezes os enormes riscos de produtos químicos, como os pesticidas, para a saúde humana. O acúmulo de tais substâncias apresenta efeitos agudos característicos como dores de cabeça e náuseas, além de apresentarem efeitos a longo prazo, como elevação do risco de desenvolvimento de vários cânceres. Dentre eles estão a leucemia, câncer de próstata e câncer de mama. Além disso, crianças e fetos expostos a tais produtos químicos podem apresentar um atraso de desenvolvimento cognitivo.


A ingestão de alimentos livres de pesticidas, fertilizantes e outros aditivos agrícolas pode evitar tais riscos. Além disso, os orgânicos apresentam melhores propriedades nutricionais, o que traz mais benefícios a saúde do indivíduo


Benefícios ambientais


Se tratando de preservação ambiental, os alimentos orgânicos merecem posição de destaque. O uso de técnicas como a rotação de cultura, uso de adubos orgânicos e pesticidas naturais evita o desgaste do solo, a contaminação da água, além de diminuir as chances de surgimento de pragas resistentes a seleção natural causada pelos pesticidas sintéticos.

Uma tendência que já vem trazendo bons resultados e merece mais atenção são as agroflorestas. Tal manejo resgata uma forma ancestral de cultivo, combinando variadas espécies animais e vegetais em uma relação mutualística, gerando produtos livres de contaminantes.


Benefícios econômicos


Economicamente falando, os alimentos orgânicos são bastante vantajosos. Mesmo sendo mais caros que os tradicionais, a economia a longo prazo, principalmente no que diz respeito a saúde, compensa a escolha. Uma dica para não pesar no orçamento mensal é a escolha dos produtos de acordo com a temporada de colheita, quando estes tornam-se mais baratos.

Outra vantagem é que produtos orgânicos muitas vezes são produzidos via agricultura familiar, e optando por seu consumo você irá favorecer pequenos produtores e aquecer o mercado regional, além de adquirir alimentos mais frescos e saborosos.

Todas essas vantagens foram listadas em uma publicação do blog da Unimed, clique aqui para conferir!




Quem produz e como encontrar os alimentos orgânicos ?



No Brasil a produção de alimentos orgânicos acontece de duas formas, e com diferentes registros frente o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Os grandes produtores devem apresentar uma certificação frente a um Organismo da Avaliação da Conformidade Orgânica (OAC), o que lhes dá o direito de vender seus produtos em vários estabelecimento, desde feiras locais até grandes redes de supermercado. Ademais, seus produtos trazem o selo federal sisOrg.


Já os pequenos produtores, geralmente agricultura familiar, podem se reunir em grupos ou instituições (como feiras) e cadastrar-se junto ao MAPA para venda direta e sem certificação. Nesse caso, o comerciante fica restrito a venda direta em feiras, sendo ele, ou alguém de sua família, o único autorizado ao comércio nas bancas.


A cidade de Belo Horizonte apresenta diversas opções de feiras com produtores orgânicos. Na região centro-sul, por exemplo, os bairros Anchieta, Luxemburgo, Mangabeiras, Savassi e São Bento recebem tais feiras. Na Pampulha também é possível encontrar os feirantes. Ao procurar por esses comerciantes fique atento a programação, pois as feiras são itinerantes e variam em relação ao dia, hora e local de comércio.




Depois de tanta informação, que tal optar por uma alimentação mais saudável e dar preferência aos produtos orgânicos? Busque por produtores na sua região e fortaleça ainda mais essa tendência mundial!


0 visualização0 comentário