Diferença entre dermocosméticos e cosméticos


Você já deve ter ouvido falar, ou até mesmo usado, produtos cosméticos e dermocosméticos, mas você sabe o que são e a diferença entre eles? Leia o texto e saiba mais!


O que são cosméticos e dermocosméticos

Com a infinidade de produtos inseridos nas rotinas capilares e de skincare, fica difícil saber se o que você tem em casa é um produto cosmético ou dermocosmético. Ambos possuem suas vantagens, aplicações e funcionalidade diferentes. Para atingir o resultado esperado, é necessário que você conheça bem os benefícios e usos de cada categoria de forma alinhar as expectativas.


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), estabelece a divisão entre as classificações de produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumes em que produtos do tipo 1 podem ser considerados cosméticos e produtos do tipo 2 podem ser considerados dermocosméticos, mas afinal, qual é a diferença na prática?




Cosméticos

Ainda segundo a ANVISA, os cosméticos podem ser definidos “por possuírem propriedades básicas ou elementares, cuja comprovação não seja inicialmente necessária e não requeiram informações detalhadas quanto ao seu modo de usar e suas restrições de uso, devido às características intrínsecas do produto”. Isto não quer dizer que a pesquisa científica para o desenvolvimento de um cosmético não seja necessária, muito pelo contrário, uma vez que a estabilidade de formulações, validade e texturas devem ser avaliados na hora de disponibilizar um produto para o uso e comercialização. Além disso, os cosméticos devem passar por testes de segurança e serem notificados e registrados na Anvisa.

Estes são classificados como produtos de grau 1.


Alguns dos exemplos de produtos cosméticos:

· Produtos pós-barbear (exceto os com ação anti-séptica)

· Protetor labial sem fotoprotetor

· Removedor de esmalte


Dermocosméticos

Os dermocosméticos, por sua vez, podem ser definidos por produtos “que possuem indicações específicas, cujas características exigem comprovação de segurança e/ou eficácia, bem como informações e cuidados, modo e restrições de uso, conforme mencionado na lista indicativa”, estes são os produtos classificados como grau 2.

Embora possua ativos farmacológicos, um dermocosmético não é um medicamento, ainda que possua ações anti-sépticas, de tratamento e cuidado prolongado. Estes produtos precisam obrigatoriamente passar por testes de eficácia, segurança, estudos garantindo que os ativos têm as funções atribuídas nos rótulos.


Exemplos de produtos dermocosméticos:

· Enxaguatório bucal anti-séptico

· Produto para pele acneica

· Fotoprotetores


Qual produto é o melhor?

Cada produto possui indicações específicas e muitas das vezes as ações são complementares, também deve ser levado em consideração o custo-benefício envolvido na hora da compra.

Um exemplo é a maquiagem, dependendo da composição, um corretivo pode ser considerado um cosmético. O corretivo tem como um dos benefícios a capacidade de camuflar acnes e manchas, ainda que não as trate, entretanto, nada impede que o corretivo seja utilizado em associação com um dermocosmético com função antiacne. Portanto, se trata de uma escolha individual e com indicações diferentes dependendo do tipo de produto, inclusive, algumas indicações não são adequadas para determinados tipos de pele devido aos componentes alérgicos, por exemplo. Para saber mais sobre as alergias relacionadas ao uso de cosméticos, clique aqui.


Em alguns casos, faz-se extremamente necessário o acompanhamento médico especializado para avaliar cada caso e a solução ideal para a sua saúde ou estética.


A Farmácia Jr. realiza diversas consultorias na área de cosméticos, como por exemplo, em formulações. Caso queira saber mais sobre nossa carta de serviços completa acesse o site, acompanhe nossas redes sociais e entre em contato conosco!


Referências:

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2015/rdc0007_10_02_2015.pdf

https://www.sallve.com.br/blogs/sallve/dermocosmeticos



18 visualizações0 comentário