Tipos de contaminantes alimentares e os procedimentos para evitá-los

A higiene e o cuidado durante a fabricação de alimentos é extremamente importante para garantir tanto a qualidade do produto, quanto a saúde do consumidor. Diversas doenças, como a salmonela e o botulismo, classificadas como DTHA (Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar) estão intimamente ligadas ao consumo de produtos que apresentam contaminantes. Mas afinal, o que esses contaminantes são e como chegam até o produto final?

QUAIS SÃO OS TIPOS DE CONTAMINANTES ALIMENTARES?


Os contaminantes alimentares podem ser classificados em 3 grupos, químicos, biológicos ou físico, que nos informam sua natureza:


CONTAMINANTES QUÍMICOS: substâncias químicas estranhas ou toxinas que são produzidas por microrganismos e que não deveriam estar presentes na composição do produto.

  • inseticidas, detergentes, metais pesados, medicamentos, corantes, aditivos não-autorizados, entre outros.

  • toxinas paralizantes, neurotóxicas, microbianas, metabolitos tóxicos de origem microbiana (histaminas e tetrodotoxinas).


CONTAMINANTES BIOLÓGICOS: agentes biológicos capazes de causar diversas doenças ao consumidor.

  • microrganismos patogênicos nos alimentos (bactérias, parasitas, vírus).

  • animais venenosos (moluscos, peixes, mexilhões) etc.


CONTAMINANTES FÍSICOS: objetos ou matérias estranhas que podem injuriar fisicamente o consumidor. Os contaminantes físicos, assim como os biológicos, são capazes de contaminar os alimentos em qualquer etapa do processo de produção, além de demonstrarem falhas na garantia de higiene.

  • fio de cabelo, que é carreador de microrganismos patogênicos aos alimentos.

  • fragmentos de plástico, vidro ou insetos.


E COMO OCORREM OS DIFERENTES TIPOS DE CONTAMINAÇÃO?

Para que a contaminação dos alimentos ocorra é necessária a existência de uma “fonte contaminante”. Essa é responsável por transportar o material estranho até o alimento limpo. As principais fontes contaminantes dos alimentos são:

  • ÁGUA: matéria-prima essencial para os diversos processos de manipulação dos alimentos. Pode se tornar uma fonte de contaminação muito intensa se a sua qualidade não for adequada à elaboração de alimentos seguros. A água precisa passar por análises que comprovem se sua composição é adequada para o preparo de alimentos.

  • AR: a contaminação pela via aérea ocorre por meio de esporos de microrganismos e gotículas. Provenientes da fala/respiração de quem está manipulando os alimentos, tais esporos são transportados facilmente pelas correntes de ar e chegam até os alimentos quando esses estão desprotegidos, contaminando-os.

  • EQUIPAMENTOS, UTENSÍLIOS E INSTALAÇÕES: podem se tornar fontes de contaminação dos alimentos quando não há a higienização correta desses.

Um exemplo dessa última forma de contaminação é chamada de contaminação cruzada. De acordo com a ANVISA, é aquela que resulta do transporte de microrganismos de um alimento para outro. Ela pode ocorrer tanto através dos equipamentos e utensílios usados durante a manipulação dos alimentos como através dos manipuladores (mãos e vestuários de proteção).



MANEIRAS DE EVITAR A CONTAMINAÇÃO DO SEU PRODUTO

A ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, vem constantemente aumentando a exigência e a rigidez da aplicação das boas práticas de fabricação para indústrias alimentícias, prezando pela saúde do consumidor brasileiro.

A maneira mais rápida e eficiente de se evitar a contaminação do produto alimentício é adotando e seguindo rigorosamente as boas práticas de fabricação para serviços de alimentação, as quais são propostas pela RDC nº 216/2004 da ANVISA. Algumas medidas de higienização estabelecidas incluem tanto operações de higienização de utensílios, de equipamentos e das instalações, que devem ser periodicamente realizadas por um funcionário qualificado, quanto o uso de água potável para a manipulação de alimentos.

As vantagens da adoção das Boas Práticas de Fabricação incluem a garantia constante da qualidade do produto final assim como a manutenção da saúde do consumidor.

Valorizar a qualidade da produção, zelando a padronização das etapas e a devida higienização, é valorizar o consumidor e a imagem do seu negócio. A Farmácia Jr. executa diversos serviços na área de melhoramento de alimentos como: análise microbiológica, análise de água e construção de boas práticas de fabricação.

Quer saber mais sobre nossos serviços?

Acesse nosso site e nos siga nas redes sociais.

12 visualizações0 comentário