Você sabe o que são os alimentos minimamente processados?

Mesmo com seu aparecimento nas prateleiras de supermercados nos Estados Unidos no início dos anos 90 graças, a maior participação das mulheres no mercado de trabalho, o que alterou os hábitos familiares e reduziu o tempo disponível para o preparo das refeições, além da busca por uma alimentação mais saudável que aumentou a demanda de produtos mais práticos e prontos para o consumo, os alimentos minimamente processados chegaram recentemente ao Brasil, mas já são considerados um nicho consolidado no mercado e que está crescendo rapidamente.


Dados do Instituto de Economia Agrícola demonstraram que o setor de indústria rural do Estado de São Paulo arrecadou cerca de R$203 milhões em 2003 e o processamento mínimo de alimentos representou um índice de R$1.375 milhões.


Mas afinal, o que são os alimentos minimamente processados? Quais as vantagens e desvantagens que eles apresentam para o consumidor? Continue lendo para saber mais!



O que são?


Produtos minimamente processados, segundo a International Fresh-Cut Produce Association, podem ser definidos como qualquer fruta, hortaliça ou combinação destas que tenham sido fisicamente alteradas, mas que permaneçam no estado fresco. São produtos de origem vegetal submetidos a operações de limpeza, lavagem, seleção, descascamento, corte, embalagem e armazenamento, mas que apresentam qualidade semelhante ao produto fresco mantendo suas características nutricionais e sensoriais, não devendo passar por processo de cozimento ou congelamento.


Os principais produtos consumidos na forma de minimamente processados são:

  • Alho picado;

  • Batata processada inteira e descascada;

  • Mix de legumes;

  • Cenoura processada e ralada;

  • Beterraba processada e ralada;

  • Alface e couve processadas.


Crédito: Miriam Lins Retirada de Hortaliças minimamente processadas | Revista Campo & Negócios (revistacampoenegocios.com.br)



In Natura X Minimamente Processado

Muitas vezes os alimentos minimamente processados são confundidos com os in natura, mas eles possuem algumas diferenças. Os alimentos in natura não passaram por nenhum tipo de processamento, como lavagem, corte, descascamento, entre outros, e por isso não possuem embalagem. São as frutas e hortaliças encontradas em feiras e sacolões, por exemplo. Já os alimentos minimamente processados são produtos frescos comercializados já lavados, sanitizados, cortados, fatiados, ralados, descascados e prontos para o consumo, sendo encontrados dentro de embalagens.



Vantagens e desvantagens dos alimentos minimamente processados


Vantagens

  • Maior praticidade no preparo dos alimentos com a manutenção das características sensoriais e nutricionais do vegetal fresco;

  • Ausência de desperdício devido ao descarte de partes estragadas. - Um exemplo é a compra de melancia, que devido ao seu tamanho, pode acabar estragando. A compra dela minimamente processada diminui tal desperdício, já que o consumidor consegue comprar a quantidade ideal para seu consumo;

  • Maior segurança na aquisição de frutas e hortaliças e garantia de alta qualidade sanitária, já que o produto passa por etapas de limpeza e sanitização;

  • Possibilidade de conhecer a procedência do produto e escolher marcas.

Desvantagens

  • Custo mais elevado em relação ao produto convencional - Isso ocorre pois o produto precisa passar por todas as etapas de processamento, além de precisar ser estocado de forma que permaneça refrigerado até seu consumo, gerando custos extras ao produtor e distribuidor que serão repassados diretamente ao consumidor;

  • Desconfiança de parte dos consumidores por conta de alterações de coloração dos produtos - Os alimentos minimamente processados são mais perecíveis do que os convencionais, devido aos severos estresses físicos a que são submetidos, vindos principalmente das operações de descascamento e corte. Estes danos aumentam o metabolismo dos produtos, causando o aumento da respiração sendo responsáveis por uma deterioração mais rápida do vegetal. Um exemplo é a oxidação dos produtos, que os deixam com uma coloração amarronzada e aspecto de podre;

  • Aumento do uso de embalagens - como precisam ser embalados para que consigam manter sua vida útil, os alimentos minimamente processados acabam gerando uma quantidade maior de lixo plástico nas cidades, fator que pode gerar consequências ecológicas drásticas.

Há uma grande discussão acerca das vantagens e desvantagens de se processar minimamente um produto de origem vegetal, muitas delas envolvendo sua acessibilidade, praticidade, sustentabilidade e perecibilidade mas, no final, cabe ao consumidor optar ou não pelo seu consumo. Contudo, é inegável o impacto positivo que os alimentos minimamente processados possuem na dieta, na saúde e na economia do país, já que trazem alimentos saudáveis e acessíveis para a mesa dos brasileiros e geram milhares de empregos por ano.


A Farmácia Jr. realiza diversos serviços na área de alimentos como POP e BPF, essenciais para a sua empresa! Acesse nosso site para saber mais e marcar uma reunião diagnóstica gratuita!



Referências

http://www.bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/AD2DEFF96449FB0F832574DC0046776D/$File/NT0003907A.pdf


http://www.fruticultura.iciag.ufu.br/


https://www.esalq.usp.br/visaoagricola/sites/default/files/va07-processamento01.pdf


https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-alimentar-melhor/in-natura-processados-ultraprocessados-conheca-os-tipos-de-alimento#:~:text=Dois%20exemplos%20de%20alimentos%20minimamente%20processados%20est%C3%A3o%20sempre,trigo%20e%20massas%20frescas%20tamb%C3%A9m%20entram%20nesta%20categoria.

https://revistacampoenegocios.com.br/hortalicas-minimamente-processadas/



11 visualizações0 comentário