O que você precisa saber sobre aditivos químicos em alimentos?

Atualizado: Mar 30



Eles se encontram no leite, na farinha e em praticamente qualquer produto alimentício que encontramos na prateleira do mercado. Os aditivos alimentares estão presentes na maioria dos alimentos processados, e se não fosse por eles os produtos que consumimos provavelmente não apresentariam aspectos favoráveis ao consumo e não durariam nem metade do seu tempo de prateleira.


Afinal, o que são os aditivos alimentares?

Usados na alimentação humana há séculos, a exemplo do cloreto de sódio (sal) e outras ervas e especiarias, os aditivos alimentares garantem a conservação dos alimentos e a maior aceitabilidade a estes pela população, propriedades cada vez mais exploradas pela indústria alimentícia.


A Anvisa define como aditivo alimentar “todo e qualquer ingrediente adicionado intencionalmente aos alimentos sem o propósito de nutrir, com o objetivo de modificar as características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais, durante a fabricação, processamento, preparação, tratamento, embalagem, acondicionamento, armazenagem, transporte ou manipulação de um alimento”.


Tendo isto em vista o emprego de um aditivo alimentar é feito, geralmente, com o intuito de se melhorar as características do produto alimentício final para uma maior aceitação pelo consumidor, e também para aumentar a rentabilidade da produção, retardando a deterioração dos produtos, que ocorre através da ação de microrganismos, como fungos e bactérias.

Por que é preciso ter cautela ao utilizá-los?




Muitos aditivos são de caráter natural, entretanto, a grande maioria é produto da indústria química, o que exige certos cuidados na hora de utilizar desse “benefício”. Por se tratarem de substâncias químicas feitas para essa finalidade, pequenas porções de aditivos, quando acrescentadas nos alimentos de maneira correta, são suficientes para que estes desempenhem seu papel na melhoria do produto.


Contudo, o uso indevido e, principalmente em quantidades erradas, pode trazer prejuízos para a saúde do consumidor. Para evitar estas situações é empregada uma equipe especializada para a escolha do aditivo ideal, que traga os benefícios esperados de acordo com a demanda do produto alimentício.


Quais são os aditivos mais utilizados em alimentos?

De maneira geral, o aditivos são divididos nas seguintes categorias:

  • Aromatizantes: conferem, realçam ou intensificam os sabor ou odor dos alimentos

  • Antioxidantes: amenizam a rancidez de produtos a base de gorduras e óleos (como a margarina), retardando a ação do oxigênio sobre esses produtos e estendendo sua validade.

  • Antiumectante: reduzem a absorção de água pelos alimentos, mantendo a aparência e textura do produto inalteradas por mais tempo.

  • Acidulantes: reforçam a acidez do produto, podendo realçar o sabor e retardando a deterioração por microrganismos.

  • Conservantes: retardam a deterioração dos alimentos, dificultando a ação de fungos e bactérias nos mesmos.

  • Corantes: conferem ou realçam a cor dos alimentos.

  • Espessantes: garantem a consistência desejada aos produtos, permitindo o controle da viscosidade.

  • Edulcorantes: adoçam os alimentos em substituição ao açúcar.

  • Estabilizantes: garante que o produto não perca suas características adquiridas durante o processamento, como a cor e a consistência.

  • Emulsificantes: permite a mistura de duas ou mais substâncias que naturalmente não se misturam.

  • Regulador de acidez: alteram ou regulam a acidez ou alcalinidade dos alimentos.


É importante frisar o efeito e a funcionalidade de um aditivo químico varia de acordo com o meio e a forma com que ele é aplicado, podendo o mesmo aditivo apresentar efeitos diferentes em alimentos diferentes.


Como escolher o melhor aditivo para o seu produto?

A legislação brasileira é positiva no que diz respeito a aditivos alimentares, e estabelece que o uso de um aditivo para a produção de alimentos é permitido caso esse esteja definido em legislação específica para a categoria de alimentos correspondente, juntamente com suas funções e limites.


Dessa forma, notada uma “dor” em seu produto alimentício final, procure uma equipe especializada para avaliar a demanda e estudar a inserção de um aditivo alimentar. Analisando a legislação e entendendo o problema em questão, é possível se escolher o aditivo ideal para sanar o problema enfrentado pelo alimento, e alavancar sua produção!


7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo